Peixes Ornamentais em Aquário
Março '04

 A Era de Aquários > Seus Aquários Mês Anterior | Mês Seguinte 

Fotos e Descrições

403ezstyle1.jpg (20kb)

Março '04 - Paludário Tanganyika de 125 L do José Antonio. (Brasil)

Os paludários estão ficando cada vez mais populares entre aquaristas em busca de novidades, mas um paludário de ciclídeos africanos certamente ainda é uma raridade. Uma idéia muito criativa e competentemente executada devido aos vastos conhecimentos e experiências do aquarista brasileiro José Antonio sobre os ciclídeos africanos.

Proprietário:José Antonio, 37, de São Paulo (Brasil), 23 anos de aquarismo
Website:C.M.C.A.
Montagem:Abril 2003
Dimensões:50x50x50 cm
Volume: 125 L (nominal), 60 L (efetivo)
Filtragem:DIY undergravel jets
Iluminação:4x20 W fluorescentes PL 6400K, fotoperiodo 10 horas/dia.
Aquecimento:Visi-Therm 100 Watts
Substrato:Camada inferior: 7 cm de Aragonita sugar size. Camada superior: 3 cm de areia de rio
Decoração:Troncos e galhos de Ipê e rochas neutras
Água:Temp 26°C, pH 8.4, KH 14, GH 20, NO3 0, O2 7 ppm
Fauna:2 Lamprologus ocellatus 'Sumbu Violet', 1 Altolamprologus sp. 'Sumbu Shell', 3 Ampulárias (Pomacea bridgesi), 2 caranguejos cavadores (Uca sp.)
Flora:Parte submersa: 5 pequenas mudas de Microsorum pteropus. Parte emersa: bromélias e samambaias (não sei as espécies)
Manutenção:Trocas parciais de água: 10% a cada 15 dias com água deionisada, ajustada com sais para Ciclídeos. Suplementos: Tetra Cichlids Vital uma vez ao mês.
Comentários:Essa montagem surgiu da idéia de montar um aquário de Ciclídeos Africanos totalmente diferente do usual, ela foi inspirada na estação de chuvas no lago Tanganyika, época que o lago sobe o nível além das margens e invade uma vasta extensão de terras.

A maior dificuldade em manter um paludário como este é a enorme evaporação de água. Para solucionar isso eu utilizei uma caixa de reposição adaptada à tampa de iluminação. Como as espécies escolhidas exigem parâmetros sem muitas oscilações, a água da reposição deve ser ajustada aos mesmo parâmetros do paludário. Manter espécies do Tanganyika em volumes reduzidos de água exige monitoração constante dos parâmetros e trocas parciais em menor volume, já que a água é reposta diariamente. Outro fator importante é a iluminação, que deve ser mais forte do que em aquários normais pelo fato de possuir uma distância maior da superfície. O fotoperíodo também deve ser maior caso o paludário receba pouca luz natural. A maior diferença entre o paludário e os aquários é a sua rotina de manutenção. Ele é mais trabalhoso devido ao pouco volume de água, e pode ser um pouco instável em relação a oscilações de temperatura e pH.

Se você quiser fazer uma submissão para Aquário do Mês, contate-me.

403ezstyle2.jpg (22kb)
O Esquadrão de Ampulárias

403ezstyle3.jpg (14kb)
Altolamprologus sp. 'Sumbu Shell'

Fotos tiradas por José Antonio e mostradas aqui com a sua permissão.




oF <=> oC in <=> cm G <=> L