Peixes Ornamentais em Aquário

Alternanthera sessilis var. 'rubra'
Violácea

 A Era de Aquários > Plantas de Aquário

Fotos & Comentários

sessilis1.jpg (39kb)
Fotografia: Marcelo Drummond

Nome: Alternanthera sessilis var. 'rubra'
Origem: Sudeste da Ásia

Cuidado Cascalho Iluminação
Especial Rico Forte

Comentário

Esta é uma das mais belas plantas que você pode encontrar facilmente pra vender nas lojas de aquarismo. A sua cor vermelho-violeta intensa e uniforme é inigualável, mas ela tem um "defeito" fatal - esta NÃO É uma verdadeira planta aquática! A Violácea é apropriada apenas para terrários e paludários. Quando totalmente submersa, ela só consegue sobreviver por um breve período, algumas semanas no máximo. Depois disso ela inevitavelmente desintegra, não importa o quanto você tem de iluminação, nutrientes e CO2 no seu aquário. Por outro lado, se você plantá-la em uma montagem com água rasa e permitir que os caules estiquem até acima da superfície, aí ela se torna uma planta maravilhosa e fácil de cultivar. Quando eu comecei a praticar jardinagem aquática a sério, eu comprei esta planta pensando que ela era a verdadeira Alternanthera aquática (Alternanthera reineckii). Nem preciso contar que, quando eu perguntei, o lojista me respondeu que elas cresceriam muito bem debaixo d'água. Quando ficou claro que a planta não estava indo bem, eu dei uma pesquisada e encontrei as informações acima. Então eu preparei um mini-aquário de 2 litros colocando alguns centímetros de areia mais um pouco de aditivo de cascalho, enchi com água do aquário e transferi as plantas para lá. Aí eu coloquei ele no meu terraço para pegar iluminação indireta, e as plantas rapidamente decolaram e passaram a florescer continuamente! Em poucas semanas eu estava podando e replantando os caules, até obter um mini-vaso densamente plantado e de baixíssima manutenção, que eu mantive por quase 2 anos. Depois que você aprende sobre elas, perceber a diferença entre a Violácea e as verdadeiras Alternantheras aquáticas é fácil: a primeira normalmente tem um tom uniforme com caules rígidos e quase retos, e muitas vezes apresenta pequenas raízes brancas e retas como na foto acima. Já as aquáticas têm diversas variantes, mas em geral têm um tom distinto entre o lado de cima e o de baixo das folhas (o lado de baixo é geralmente mais vermelho), e na forma submersa os caules são muito mais flexíveis.

Contribuído por Marcos Avila
Comentário

Acho essa planta muito bonita, e tive muitos problemas com ela pois deixava inteiramente submersa. Ao comprar a planta ela veio com umas bolas, parecendo pequenas pinhas Em uma semana no meu aquário se soltaram, começaram a germinar e dar pequenas mudinhas. O problema é que poucos dias depois a planta mãe se deteriorou na água, achei muito estranho. Com as mudas depois aconteceu o mesmo, uma semana depois.

Contribuído por Guilherme Wolff
Comentário

Coloquei dois caules no meu aquário há uma semana atrás. Notei realmente que começaram a se deteriorar. Começaram soltando as folhas que ficavam "viajando" pela água, depois os caules começaram a murchar e ficaram tão fracos que começaram a se quebrar. É uma planta muito bonita, sua coloração vermelha dá um toque muito especial ao jardim do aquário, porém infelizmente não dura muito.

Contribuído por Mateus S. Rocha
Comentário

Coloquei esta planta em meu aquário. O lojista me disse que ela perderia as folhas em pouco tempo (morreriam) mas para eu não arancar ela, pois isto significava de que ela tinha criado raízes e estava se adaptando. Bem, as folhas cairam, mas mesmo descrente esperei e deu certo o que ele tinha dito, tenho um belo "arranjo" destas plantas dentro do aquário. O segredo foi não tirá-la quando pareceu morta e esperar alguns dias (mais ou menos 10).

Contribuído por Daniel Cesar
Comentário

Esta planta morreu em menos de 2 semanas no meu aquário plantado. Inicialmante perdeu as folhas e agora não está mais lá. Acho que ela entrou em decomposição.

Contribuído por Guilherme
Comentário

A violácea é, definitivamente, a planta mais bonita que tive a oportunidade de conceber sob minha responsabilidade. Em primeiro lugar, sua cor rubra já estigmatiza uma impressão exótica a qualquer observador; sejam eles leigos ou experts em aquarismo. Adquiri cerca de 15 caules de violácea em uma viagem. Minha compra se baseou na cor e no arranjo intercalado de pares de folhas a cada segmento longitudinal de caule, que dava um aspecto delicado e ao mesmo tempo vibrante ao vegetal. Quando regressei, reparti com um amigo metade das violáceas, para que pudéssemos desfrutar da mesma em nossos aquários. Porém, antes de colocá-las no aquário obtive a informação (aqui mesmo no aquahobby) de que elas deteriorariam em algumas semanas submersas. Inicialmente, isto foi uma perda para mim, porém decidi plantá-las em terra fértil com húmus de minhoca em vasos feitos por mim mesmo com madeira reciclada de pinho hahaha! O resultado foi perfeito; hoje tenho violáceas com flores e mais de 60 cm de altura. Já consigo reproduzí-las por estaquia e reparto com todos este belo ser vivo. Até minha namorada já tem um exemplar. Um abraço efusivo a todos!

Contribuído por Danillo

Tem alguma experiência para partilhar nesta página? Não precisa registrar-se para contribuir! Sua privacidade é respeitada: seu e-mail é publicado somente se quiser. Todas as submissões são revisadas antes da adição. Escreva sobre suas experiências pessoais, sem abreviações, sem linguagem de chat, usando pontuação e capitalização padrão. Pronto? Então envie seus comentários!




oF <=> oC in <=> cm G <=> L