Peixes Ornamentais em Aquário

Caridina multidentata
Camarão Takashi Amano

 A Era de Aquários > Peixes de Aquário > Camarão Takashi Amano - Caridina multidentata/japonica

Fotos & Comentários

Caridina_japonica_2.jpg (40kb)
Fotografia: Filipe Oliveira

Nome: Caridina multidentata
Comp AquapHTemp
Origem: Japão
5 cm 20 L 6.7 24°C

Comentário

Tenho um desses em meu aquário e adoro o modo como ele se comporta. Todos os outros peixes o respeitam e quando algum deles (geralmente um novato) se atreve a invadir o seu espaço ele logo mostra quem manda no pedaço, no mais ele é bastante calmo e vez por outra arrisca nadar um pouco pela frente do aquário. O meu aquário tem pH 7.0 e temperatura 29 C.

Contribuído por Nelio Soares
Comentário

Temos 10 desta espécie em nosso aquário de 80 litros. Além de um interessate comportamento estes carinhas são ótimos para manter o aquário limpo. Eles comem todo o lodo das plantas sem danificá-las. O limpador de vidro e estes camarões fazem uma combinação de limpeza perfeita para o aquário.

Contribuído por Guiomar & Tim
Comentário

São os melhores comedores de algas nas plantas. Principalmente as que nascem em Musgos de Java. Como recomendam, possuo 1 Caridina para cada 2 litros de água. As fêmeas atingem o tamanho máximo de 5 cm, já os machos são um pouco menores. Não atacam outros peixes. Vivem melhor em temperatura de 15 a 27 graus e pH de 6,5 a 7,0. Aqui no Japão são facilmente encontrados. Sua aquisição é quase obrigatória caso queira montar um aqua-plantado.

Contribuído por Airton Tamashiro
Comentário

Há uns 3 anos atrás comprei 9 destes numa loja do Morumbi. Nos USA eles chamavam de camarão-abelhinha (Bee-shrimp), os alemães e franceses chamam eles de algo parecido com camarão-zebra. A coloração mais comum é a com listra negras, mas há uma variredade com listra vermelhas e outras toda vermelha ou toda negra. No Japão, habitat natural, atingem até 7 cm, mas em aquários, longe dos rigorosos invernos, chegam até 9 cm. Prefira os pequenos que apenas se alimentam de algas e restos de rações, pois os grandes tendem a sucumbir aos instintos predadores sobre peixes muito pequenos. É muito útil na limpeza do aquário, principalmente nas plantas e frestas de troncos e pedras. Cuidado com peixes maiores, pois podem viram alimento deles. Não misture com lagostinhas, carangueijos e pitus, pois serão devorados. Os que eu tive viveram por 1 ano e 8 meses. Disseram-me que eles só se reproduzem em água bem salobra. Infelizmente nunca mais consegui achar outros nos comércio para repor os saudosos falecidos...

Contribuído por Alex Kawazaki
Comentário

Sobre reproduzir este animal, comprei numa loja uma fêmea que veio com os ovinhos. Foi só esperar o tempo passar e cuidar bem dela para ver os filhotinhos rodando no aquário, que tinha uns 50 L. Pena que precisamos limpá-lo, e as miniaturas não resistiram.

Contribuído por Bruno Brum
Comentário

Comprei há 8 meses 4 Caridinas japonicas (2 machos e 2 fêmeas) e 1 Neocaridina denticulata sinensis (fêmea) para o meu aquário de 70 L, injecção caseira de CO2 e densamente plantado. Convivem muito bem com 2 cobrinhas kuhli, 1 rã africana (Hymenochirus sp.) e 5 Neritina zebra. Alimentam-se de tudo, desde de estarem o dia todo a limpar as minhas plantas das algas até (quando ofereço) artémia e flocos, pois são omnívoras. Costumam vir comer na minha mão. Conseguem andar fora da água e trepar pequenos obstáculos, por isso não deixem espaço para elas fugirem para fora do aquário. As fêmeas já tem 5 cm de comprimento e apresentam linhas descontinuas ao longo do corpo, os machos tem 3 cm e apresentam pontos ao longo do corpo. As minhas fêmeas já tiveram ovos, cerca de 100 cada uma. Os ovos tem cerca de 1 mm que, à medida que foram desenvolvendo, destacaram-se os olhos e a mudança de cor (cinzento para branco/amarelo). O desenvolvimento demorou cerca de 3 semanas, depois do qual a fêmea liberta-os sacudindo as patas, tendo as crias o aspecto de mini-larvas de moscas. Sei por pesquisa que as larvas necessitam 1-2 dias após eclodirem de água salobra durante a fase larvar, caso contrário morrem em 5 dias na água doce (no ambiente delas, Japão, são arrastadas pela corrente do rio até a água salobra perto do mar, regressando novamente ao rio após a fase larvar). Infelizmente, até agora as minhas larvas não conseguiram sobreviver, sendo a causa mais provável a minha inexperiência em aquários salgados. Para além disto, quase todas as larvas perdem-se no meu aquário, pois não sei quando a fêmea os liberta, tendo tentado criar apenas as que consegui apanhar antes das fêmeas soltarem-nas.

Contribuído por Punil Sanatcumar
Comentário

Tenho dois faz um mês. São pacíficos e ajudam muito na limpeza do aquário. Não vejo nenhum problema de relacionamento entre eles e os peixes. São adoráveis e muito interessantes, gosto de os observar e aprender sobre seu comportamento em várias situações.

Contribuído por Neto Sipionato

Tem alguma experiência para partilhar nesta página? Não precisa registrar-se para contribuir! Sua privacidade é respeitada: seu e-mail é publicado somente se quiser. Todas as submissões são revisadas antes da adição. Escreva sobre suas experiências pessoais, sem abreviações, sem linguagem de chat, usando pontuação e capitalização padrão. Pronto? Então envie seus comentários!




oF <=> oC in <=> cm G <=> L