Peixes Ornamentais em Aquário

Nothobranchius rachovii
Rachovi Notho

 A Era de Aquários > Peixes de Aquário > Rachovi Notho - Nothobranchius rachovii

Fotos & Comentários

Nothobranchius_rachovii_1.jpg (25kb)
Fotografia: André Carletto

Nome: Nothobranchius rachovii
Comp AquapHTemp
Origem: Africa Ocidental
6 cm 40 L 6.7 24°C

Comentário

Os killifish são considerados os peixes mais coloridos e bonitos de água doce, sendo comparados aos peixes marinhos de corais, agora imagine o mais belo Killifish. Pois o N. rachovii é, por unanimidade, o mais belo Killifish, quem já teve o prazer de vê-lo ao vivo não tem dúvida o N. rachovii é o mais belo peixe de água doce. Originário do Leste Africano (Região das Grandes Savanas) é encontrado em poças temporárias nas planícies costeiras de Moçambique, sendo o limite norte de sua distribuição Quilimane e ao sul o Parque Nacional Kruger na fronteira com a África do Sul, isto corresponde a uma área de aproximadamente 800 Km2, isto explica a existência de variações nas colorações entre as populações. Na natureza é frequentemente encontrado simpátrico (vivendo no mesmo local) com N. orthonotus. Há várias décadas é criado em aquário sem apresentar problema de consangüinidade ou degeneração genética.

DESCRIÇÃO- Os machos atingem o tamanho máximo de 6cm, possuem o corpo recoberto por escamas azuis turquesa metálico com bordos vermelhos alaranjados. A nadadeira caudal apresenta o contorno preto e o centro alaranjado com manchas vermelhas. As nadadeiras peitorais e a ventral são transparentes com reflexos azulados. A fêmea atinge o tamanho máximo de 5cm e coloração verde clara com reflexos dourados sendo as nadadeiras transparentes.

REPRODUÇÃO- Os Nothobranchius pertencem ao grupo de Killifish de reprodução anual, isto é, como eles habitam na natureza locais que secam, depositam seus ovos no fundo das poças que vivem, com a chegada da estação da seca as poças secam, mas os ovos ficam encubados esperando a próxima estação das chuvas quando eclodem e recomeçam o ciclo. Em um aquário com aproximadamente 10 litros podemos colocar um casal ou um trio (um macho e duas fêmeas) com um fundo recoberto de substrato, que pode ser turfa ou pó de xaxim ou esfagno ou mesmo uma mistura dos três, o substrato funciona como local de desova. Plantas como Microsorum pteropus, Elodea e outras de folha fina são aconselháveis para completar um ambiente. Todos Nothobranchius gostam de temperatura elevadas, é aconselhável mantê-los em temperaturas entre 24ºC à 28ºC, pH entre 6,8 e 7,4. O macho empurra a fêmea com o corpo junto ao substrato onde ela solta os ovos e ele os fecunda, os ovos caem e se escondem no substrato. Este ritual é ininterrupto sendo executados todos os dias, por isto ao final de 15 dias é aconselhável separar o macho das fêmeas para que elas possam recuperar suas energias. Como na natureza eles vivem em locais temporários, alguns aquaristas, para estimular a desova diminuem gradativamente o nível da água do aquário, para induzir o peixe a pensar que o seu habitat está secando. Após as desovas devemos secar o substrato em um jornal até ele atingir a umidade de fumo de cachimbo, colocar dentro de um saco plástico inflado com ar e identificá-lo com nome da espécie e data da secagem, estocando em local quente e escuro. Os ovos são pequenos, mas com uma lupa é possível acompanhar o desenvolvimento do embrião no ovo, para isto a cada dois meses devemos abrir os sacos e observar os embriões, quando estes preencherem completamente o ovo estão prontos para eclodirem. Colocamos o substrato com os ovos na água (altura aproximada de 2 cm) e aguardamos o nascimento dos alevinos. Após 48 horas devemos retirar os filhotes e secar novamente o substrato, para em 15 dias colocarmos novamente na água. Os filhotes nascem muito pequenos e as primeiras alimentações devem ser infusório e microverme. Após uma semana já se alimentam de náupilos de Artêmia salina. O crescimento é rápido sendo que em 3 à 4 meses já estão sexados.

DOENÇAS- São extremamente susceptíveis ao Oodinium, razão pela qual devemos manter a temperatura da água elevada e adicionar uma colher de chá sal grosso para 4 litros. Caso o peixe adoeça com o Oodinium ele apresentará uma poeira esbranquiçada pelo corpo e suas nadadeiras ficarão fechadas. Hoje no mercado já existem remédios eficientes contra esta doença, mas o melhor tratamento é à base de sulfato de cobre 0,1% sendo que desta solução utilizaremos 1ml para cada litro em banhos de 1 minuto. Alguns aquaristas descascam fios de cobre e colocam-nos dentro do aquário.

Para quem tiver a sorte de adquirir esta magnífica espécie deve se esforçar ao máximo para conseguir sua reprodução, com isto sempre terá o prazer de ter a mais bela espécie ornamental em seu aquário.

Contribuído por Dalton Nielsen

 Submeter um Comentário 

Tem alguma experiência para partilhar nesta página? Não precisa registrar-se para contribuir! Sua privacidade é respeitada: seu e-mail é publicado somente se quiser. Todas as submissões são revisadas antes da adição. Escreva sobre suas experiências pessoais, sem abreviações, sem linguagem de chat, usando pontuação e capitalização padrão. Pronto? Então envie seus comentários!




oF <=> oC in <=> cm G <=> L