Peixes Ornamentais em Aquário

Crenicichla sp. 'Xingu I'
Jacundá Vemelho

 A Era de Aquários > Peixes de Aquário > Jacundá Vemelho - Crenicichla sp. 'Xingu I'

Fotos & Comentários

creni1.jpg (19kb)
Fotografia: Marcos Avila

Nome: Crenicichla sp. 'Xingu I'
Comp AquapHTemp
Origem: Amazônia Central
30 cm 300 L 7.0 25°C

Comentário

Este é um peixe muito bonito e interessante, porém muito cuidado ao comprarem este ciclídeo, pois ele é vendido em tamanhos pequenos e com sua cor exuberante que somente está presente na sua fase juvenil. Quando maior ele vai mudando de cor, perdendo suas faixas negras e seu amarelo alaranjado, ficando com uma cor cinza esverdeada pouco atraente para a maioria dos aquaristas que prezam somente cores vivas. Aquários de no mínimo 250 litros são recomendados para este magnífico ciclídeo sul-americano. Os companheiros ideais para conviverem com ele seriam grandes e médios ciclídeos como Oscar, e outros peixes maiores que ele. Nunca tente colocá-lo em seu aquário comunitário com Tetras e outros peixes menores pois estes, mesmo não cabendo em sua boca, serão logo caçados devido ao instinto natural deste Jacundá do Rio Xingu. É um super peixe para se ter, porém é necessário um aquário específico para médios e grandes Ciclideos Americanos. Os meus se alimentam de gamarus secos, carne fresca, e aquela nova comida em forma de sache. Muitas tocas são necessárias, pode-se ter plantas normalmente pois ele não as toca. O pH pode ser de ácido a neutro. Com todas essas exigências satisfeitas, nunca vai chamar seu peixe de assasino e sim de um grande e inteligente companheiro!

Contribuído por Alaor
Comentário

Esse peixe é magnifico, mas é muito timido e agressivo com peixes menores, que geralmente são comidos. Sua coloração muda enquanto está se alimentando. Notei que prefere os alimentos naturais como larvas, pequenos peixes, minhocas, camarões, etc. Só sai das tocas quando está sozinho ou não sabe que está sendo observado. É muito territorial, mas um ótimo peixe para se ter em casa.

Contribuído por Osvaldo
Comentário

Eu tenho um Jacundá Vermelho no meu aquário. É um peixe de aparência discreta, mas é muito elegante no seu modo de nadar, apesar de ser muito territorial e agressivo. No meu aquário de 300 litros, os únicos peixes que o Jacundá respeita são 2 Oscars maiores, mesmo o assim o segundo maior sempre é desafiado. São batalhas rápidas e nunca vi nenhum se machucar, mas o Jacundá não respeita nem Cascudos, nem Bagres nem nada. Ele simplesmente espanta todos os outros quando está nadando.

Contribuído por Aurelio HH
Comentário

Eu possuo um Jacundá Vermelho em meu aquário há 6 anos. Quando pequeno, possuía uma cor alaranjada com algumas manchas pretas nas laterais, e suas nadadeiras eram transparentes. Com o passar do tempo suas cores foram se modificando, o alaranjado forte que possuía foi se tornando mais claro e suas pintas foram sendo substituídas por algumas listras em seu corpo. Suas nadadeiras antes transparentes, agora possuem um tom avermelhado forte. É um belo exemplar esse que possuo, diferente do jacundá laranja. Sua alimentação é basicamente de guarus, tenebriões, lambaris, filé de peixe e coração de boi. Seu instinto é de caçador de pequeno porte, ele não aceita nada de diferente em seu aquário. Já quebrou aquecedores e termômetros, rasgou várias redes e estraçalha peixes menores. Mesmo assim, é o meu peixe preferido de todos os que eu já criei, sua expressão ao nadar é forte e me anima no final de todos os dias.

Contribuído por Lino Tateoka
Comentário

É um ciclídeo muito agressivo e excelente caçador. Mesmo peixes maiores do que sua boca serão devorados, pois o jacundá esfrega a presa no substrato do aqúario até que esta seja rasgada ao meio, para depois ele ingerir os pedaços. Seu período de maior atividade predatória é no amanhecer e ao escurecer, não sendo isso uma regra. Sua alimentação pode ser complementada com pedaços de camarão, lula e mexilhões.

Contribuído por Lino Tateoka
Comentário

Muitas espécies de Jacundás são encontrados no Brasil. Já pesquei muitos deles e, confesso, comi alguns dos grandes. É até covardia pescá-los, pois se atiram às iscas com tamanha voracidade que nem mesmo é necessário fisgá-los. Certa vez, passando peneira em um córrego atrás de espécimes pequenos, capturei boa parte de uma prole, cada um com quase um centímetro. Mantíve-os em uma caixa d'água de mil litros. Onze chegaram à fase adulta e se reproduziram. Nunca presenteei tanta gente com tanto Jacundá.

Contribuído por Alessandro Thomé

Tem alguma experiência para partilhar nesta página? Não precisa registrar-se para contribuir! Sua privacidade é respeitada: seu e-mail é publicado somente se quiser. Todas as submissões são revisadas antes da adição. Escreva sobre suas experiências pessoais, sem abreviações, sem linguagem de chat, usando pontuação e capitalização padrão. Pronto? Então envie seus comentários!




oF <=> oC in <=> cm G <=> L