Peixes Ornamentais em Aquário

Chalceus macrolepidotus
Chalceu

 A Era de Aquários > Peixes de Aquário > Chalceu - Chalceus macrolepidotus

Fotos & Comentários

Chalceus_macrolepidotus_3.jpg (16kb)
Fotografia: Candido Afonso

Nome: Chalceus macrolepidotus
Origem: Amazon

Comp Aqua pH Temp
25 cm 200 L 7.0 25°C

Comentário

Já tenho este peixe há 10 meses. É um peixe que gosta de ficar parado, parecendo ser bem tímido, mas o que gosta mesmo é de ficar se mostrando para os que o vão observar (ele não me engana). Me falaram que depois de grande comerá todos os meus Cardinais; até agora é o peixe mais pacífico do aquário. Fica na superfície o tempo todo. Mas é um peixe muito assustado, portanto pancadas no vidro ou aproximações muito rapidas de pessoas ou até o próprio criador é desaconselhável. Ele fica louco e bate com força nas paredes e se machuca, o que nós não vamos nem cogitar em querer né pessoal. O meu gosta muito de comida em flocos, mas dos pedaços maiores, ignora os pedaços pequenos. Não o vi comer nem um outro tipo de comida que tenha colocado no aquário. Com certeza o peixe mais resistente que tenho. Quando muito, mas muito leigo ainda, ele foi o primeiro peixe que adiquiri. Todos os outros de uma leva de umas 5 ou 6 vezes que comprei morreram todos por doenças, má conservação da água, mudanças de pH e outras coisas mais (características de leigos). E não é que o danado continua firme e forte. Agora que já entendo um pouco mais do assunto e melhorei sensivelmente a qualidade da água e manutenção, ele fica cada dia mais bonito.

Contribuído por Willer DF
Comentário

Realmente ele é tímido e corre assustado a qualquer movimentação rápida. Nunca ouvi relatos de agressividade por parte deles. Às vezes em 2 ou 3 peixes, um deles persegue o outro, mas acho que é só um pouco de territorialidade entre a própria espécie (não manifestada a outros peixes). Mantenha as tampas dos aquas e buracos de aquecedor nos cantos bem fechados, pois o meu escapou pela pequena abertura do aquecedor na tampa e foi encontrado "esturricado" no chão na manhã seguinte.

Contribuído por Humberto Hepp
Comentário

Eu estou com um há dois meses, em um aquário comunitário. Ele está com uns 12 cm. Não o vejo agredir nenhum dos outros peixes, mas se mostrou bastante rápido em se defender, adquirindo certo respeito dentro do aquário. Portanto é passífico, mas sabe se defender. E sobre seu exibicionismo, creio que é verdade, pois sempre está à mostra, e de vez em quando vejo pular pra fora d'água, por isso deixe bem fechado seu aquário com está espécie.

Contribuído por Emerson Marques
Comentário

Peixe muito interessante, típico caracídeo das regiões alagadas da Amazônia. Por seu tamanho e pela necessidade de espaço, não devia ser colocado em aquários com menos de 500 L. O melhor seria em um tanque ou viveiro de jardim, com muitas plantas aquáticas e flutuantes. A presença humana lhe assusta, é um peixe muito tímido. Curioso é como olham arregalados para quem se aproxima do aquário ou tanque. Gosta de água clara, um pouco ácida, pH 6,5 e da sombra de árvores. Em geral, habita águas rasas, até 1 metro, nadando em áreas médias até a superfície. Quando estressado, pode saltar fora d´água. Por isso, recomenda-se tampar o aquário. Estou criando 5 chalceus grandes (22 cm cada) há mais de dois anos em um tanque grande de mais de 12000 L, com outros peixes grandes, como cruzeiro do sul, bala sharks, tetras, entre outros, mas nunca saltaram. Estão todos vivos e bem. Não são hostis com outras espécies, mas entre si ocorrem investidas. Sua fama como predador é exagerada, pois nesse tanque vivem mais de 40 cardinais e 50 dânios zebra e parece que há um equilíbrio entre eles. Os meus chalceus se acostumaram com ração granulada, flocos, camarão seco e fresco, etc. As fêmeas, acredito, não têm a cauda tão vermelha quanto os machos, e são mais cheias no abdômem. Quando jovens, é quase impossível saber o sexo. Neste inverno, aqui em Recife (Brasil) depois do período de chuva que quase transbordou meu tanque, a fêmea mais cheia desovou entre as plantas flutuantes. Em duas semanas, os alevinos já nadam da maneira dos pais, de modo súbito com paradas. Devo ter perdido centenas de filhotes, pois não retirei os pais do tanque. Alguns sites americanos e brasileiros dizem que é impossível a desova em cativeiro. Em aquário, talvez isso seja verdade, mas em grandes viveiros, com condições próximas do natural, eles desovam normalmente.

Contribuído por Katsuzo Koike
Comentário

Parece que a reprodução do Chalceus em cativeiro é muito difícil mesmo, ou impossível. Os meus ainda não reproduziram, como havia dito na outra mensagem. Após três semanas da suposta desova, retirei alguns desses alevinos de Chalceus e notei, para minha supresa e decepção, que na realidade eram pequenos Tanichthys albonubes, que haviam desovado entre as plantas. Nada de Chalceus. Mas quem sabe, uma horas dessas eles reproduzam de fato.

Contribuído por Katsuzo Koike
Comentário

Comprei dois belos exemplares desta espetacular espécie amazônica e como não possuo aquários grandes para melhor comportá-la, resolvi criá-los numa caixa d'água de 500 L com dois apaiaris, um cascudo e um acará severo. Por enquanto a caixa está sem decoração, mas ao longo do tempo pretendo colocar troncos e várias plantas.

Tem alguma experiência para partilhar nesta página? Não precisa registrar-se para contribuir! Sua privacidade é respeitada: seu e-mail é publicado somente se quiser. Todas as submissões são revisadas antes da adição. Escreva sobre suas experiências pessoais, sem abreviações, sem linguagem de chat, usando pontuação e capitalização padrão. Pronto? Então envie seus comentários!




oF <=> oC in <=> cm G <=> L