Peixes Ornamentais em Aquário

Melanotaenia boesemani
Arco-Iris Boesemani

 A Era de Aquários > Peixes de Aquário > Arco-Iris Boesemani - Melanotaenia boesemani

Fotos & Comentários

Melanotaenia_boesemani_1.jpg (14kb)
Fotografia: Matthius Lettington

Nome: Melanotaenia boesemani
Comp AquapHTemp
Origem: Nova Guiné
9 cm 80 L 6.5 28°C

Comentário

Esta espécie é extremamente dinâmica, nadando por todo o aquário. Come de tudo, sem frescura. O macho é bem colorido, em tons vermelhos e laranjas, já a fêmea é menos colorida. É bom sempre manter um casal no aquário, assim eles acostumam com a nova casa mais rapidamente. Além disso, estarão nadando sempre juntos. São pacíficos e dão muita vida a qualquer aquário comunitário.

Contribuído por Fred Dias
Comentário

Esta espécie é, na minha opinião, uma das mais bonitas deste gênero. Esse peixe gosta muito de viver em cardumes grandes como neons e rodóstomos. Como gostam de nadar muito é necessário mantê-los em aquários longos de cerca de um metro. São hábeis saltadores também, o que requer aquários bem tampados, apesar de eu nunca ter tido problemas com isso (há bastante espaço entre a tampa de vidro e o filtro externo para eles pularem para fora, mas nunca tentaram!). Vive em rios de correnteza lenta da Nova Guiné, por isso, se for montar um aquário só para eles, é bom utilizar um filtro externo colocado em um dos lados do aquário, e não atrás, como é de costume, para poder simular a correnteza do rio. Nunca tive a oportunidade de reproduzí-los, mas tenho um casal que está sempre se cortejando. O ritual de acasalamento ocorre a todo momento, mas uma troca de água parece agir como estímulo. No meu aquário basta eu começar a fazer a limpeza semanal com a retirada de parte da água que eles já começam a dançar. O cortejo e muito interessante: primeiramente macho e fêmea se encaram, encostando a ponta do rosto e agitando a cauda, mantendo a cabeça baixa. Eles fazem isso de preferência em cantos entre troncos, pedras ou plantas, na parte mais baixa do aquário. De tempos em tempos o casal se separa e o macho nada em círculos grandes pelo aquário e retorna à frente da fêmea repetindo o ritual. Quando parece que está indo tudo bem entre eles, macho e fêmea pôem-se lado a lado, com suas cabeças encostadas e nadam juntos assim por sobre alguma planta baixa (no meu aquário é a Vesicularia dubyana, que é originária do mesmo lugar onde vive este peixe). Acho que neste momento deveriam estar copulando, mas nunca consegui observar nada. Durante todo o ritual o macho exibe na testa e início das costas uma faixa brilhante esbranquiçada que chega até o início da nadadeira dorsal. Ela fica muito mais brilhante quando o ritual de acasalamento ocorre. É um espetáculo!

Contribuído por Orlando Grillo
Comentário

Não dou sorte com melanotênias. Tinha um casal de M. lacustris mas o macho, violento, matou meu japonês Riukin. Troquei por um macho ainda pequeno Boesemani. Mas o danado é mais briguento ainda. Morde o rabo dos japoneses, põe para correr o molinésia macho, e se engraça com a molly fêmea. Troquei ele de aqua, e já está dando trabalho, pondo para correr platys e espadas.

Contribuído por Eduardo Klausner
Comentário

O meu comentário relativo aos boesemani é um pouco extenso e atribulado. Vou tentar explicar: Uma vez comprei 2 boesemani que me pareciam os maiores do cardume, e após uns tempo achava que eram machos. Tempos depois fui à loja e trouxe mais 2 (tentei encolher fêmeas) e eram mesmo 2 fêmeas (pontaria). O meu aqua de 135 L com pH de +/- 7.4 não seria o mais apropriado, mas arrisquei. Um dia vi um dos machos com a testa toda fluorescente meio amarelada mas não liguei muito porque era habitual depois da refeiçao matinal ele ficar "maluco". Não é que um tempo depois vejo ovos a cair no musgo de java (planta essencial para eles porem os ovos, apesar de gostarem tambem da cabomba). Apanhei uns, mas 2 semanas depois desapareceram. Recentemente activei o meu aqua de 40 L pra pôr os meus kribs pra reproduzir, e pras eles se sentirem à vontade coloquei lá bastante musgo de java vindo do meu aqua principal, passando-o previamente por água da torneira pra tirar as impurezas. Numa noite fui ver os meus kribs, quando vejo um corpo minúsculo a passear ao cimo da água. Só poderia ser um arco iris boesemani, e não faço a mínima pequena idéia como ali foi parar. So espero que ele creça rápido para poder ter a certeza da sua "nacionalidade". PS: depois de alguma pesquisa (intensiva) constatei que o boesemani não é um arco-iris australiano mas sim do sudoeste asiático, em águas onde o pH ronda os 7.2 a 8.0.

Contribuído por João Chagas

Tem alguma experiência para partilhar nesta página? Não precisa registrar-se para contribuir! Sua privacidade é respeitada: seu e-mail é publicado somente se quiser. Todas as submissões são revisadas antes da adição. Escreva sobre suas experiências pessoais, sem abreviações, sem linguagem de chat, usando pontuação e capitalização padrão. Pronto? Então envie seus comentários!




oF <=> oC in <=> cm G <=> L