Peixes Ornamentais em Aquário

Betta splendens
Peixe de Briga

 A Era de Aquários > Peixes de Aquário > Peixe de Briga - Betta splendens

Fotos & Comentários

Betta_splendens_14.jpg (33kb)
Fotografia: Wendy Oliver
Comentário

Extensão do guia – um pouco mais sobre os Bettas

Doenças vs. Alimentação:
Vamos tratar aqui um pouco mais sobre a alimentação que, ao meu ver, está diretamente ligada a algumas doenças que se manifestam em Bettas e por sua vez podem muitas vezes prevenir algumas enfermidades. Como já falei na página anterior, os Bettas geneticamente possuem (herdados dos seus “parentes” selvagens) um sistema digestivo voltado principalmente a alimentos ricos em proteínas. Como na natureza sua dieta é basicamente formada por insetos e larvas, o ácido usado para digerir tais alimentos são especialmente direcionados a alimentos de fácil digestão, não sendo capazes de digerir por completo certas rações que são comercializadas, e em geral podemos citar as de “bolinhas”. Uma boa ração não deve ser somente rica em proteínas, mas também possuir em sua composição fibras e outros compostos. Mais adiante falaremos um pouco sobre os níveis de cada um em sua alimentação diária. Muitas pessoas alimentam seus peixes somente com insetos, artêmias ou vermes; ao meu ver esta alimentação torna-se incompleta. Vejo a necessidade de utilizar a ração de boa qualidade como sua principal dieta básica, transformando artêmias, bloodworms, enquitréias, larvas e outros vermes como complemento alimentar de 2 a 3 vezes por semana, ou simplesmente como um saboroso agrado aos nossos queridos amigos. Mas então que ração ministrar? Vejo como uma combinação ideal, as rações em flocos que possuam em sua composição os seguintes níveis / ingredientes: Proteína Bruta entre 40 e 50%; Fibras entre 1% e 2%; outros compostos como fósforo, minerais, cálcio; e algum suplemento vitamínico, como por exemplo, a vitamina C que é muito importante na prevenção de infecções.

Existem muitas rações em flocos de boa qualidade que podem ser usadas para alimentar os Bettas, particularmente dou para os meus peixes a Tetra Bettamin. Quando alimentamos os Bettas de forma adequada ao seu organismo, estamos provendo a ele suas necessidades básicas e específicas para um bom desenvolvimento e longevidade, obviamente levando-se em consideração outros fatores como a manutenção adequada do seu aquário, etc. Não devemos dar “bolinhas” aos Bettas pois além de não possuírem os níveis mínimos de nutrientes para a sua dieta, são de difícil digestão, muitas vezes “inchando” dentro do intestino do animal. Vejamos agora alguns sintomas que podem aparecer oriundos de uma alimentação inadequada:

  • Olhos inchados e/ou esbranquiçados;
  • Perda de apetite;
  • Barbatanas inchadas;
  • Indisposição para nadar, ficando “deitado” sobre o cascalho ou ornamentos durante muito tempo;
  • Perda da agressividade;
  • Abdômen inchado.
  • Doenças vs. Manutenção:
    Não vou me aprofundar muito neste tema pois já foi discutido anteriormente no texto, somente vou citar algumas regrinhas que devem ser adotadas rigorosamente, são elas:

  • Em beteiras de 2 litros, troque semanalmente 50% da água, sempre fazendo a sifonagem do substrato;
  • Em aquários maiores, o volume total retirado deverá ser de no mínimo 20% e no máximo de 50%;
  • A água reposta não pode conter cloro e metais pesados, deverá ter o seu pH corrigido com o do aquário. Para retirar o cloro e metais pesados use um bom condicionador para água de reposição;
  • A temperatura também deverá ser ajustada conforme o aquário;
  • Por fim, não deixar haver oscilações bruscas de pH e temperatura no aquário.
  • Os Bettas são sensíveis a quedas bruscas de pH e temperatura. Muitas vezes os agentes causadores de doenças, como por exemplo o Íctio, se aproveitam do mal súbito do animal e acabam por infectá-lo. Em casos mais extremos estas oscilações podem levar o peixe à morte em poucas horas. Portanto devemos ter especial atenção a estes parâmetros e, seguindo os conselhos acima, dificilmente o seu peixe terá doenças ou sofrerá por problemas causados pelas situações descritas.

    As doenças:
    Como vimos anteriormente, existem muitos modos de evitar enfermidades desnecessárias, porém se elas aparecerem é importante saber identificá-las com precisão, bem como as suas causas e tratamentos. Vejamos a seguir as principais doenças que podem surgir em seu Betta:

    - Abdômen inchado ou constipação intestinal:
    Causa: Alimentação de má qualidade, em geral as rações de “bolinha”, ou mesmo manutenção irregular ou ineficiente do ambiente.
    Características e/ou sintomas: Inchaço abdominal; Indisposição para nadar, o animal fica muito tempo parado no fundo do aquário; Barbatanas fechadas; Falta de apetite e escamas eriçadas precedido de inchaço abdominal.
    Tratamento: No caso de má alimentação, suspenda imediatamente a ração e procure outra de melhor qualidade. Em geral estas enfermidades são causadas por infecções bacterianas ou viroses. Use Tetraciclina na solução de 100 mg por litro de água durante 24 horas. Trate o animal sempre em aquário hospital com os parâmetros iguais ao aquário principal, nunca usando carvão ativado. Volte a alimentar o peixe com artêmias salinas vivas por 2 semanas consecutivas, isso vai ajudar a regular o fluxo intestinal e recuperação geral do peixe.

    Hidropsia:
    Causa: Alimentação de má qualidade, em geral as rações de “bolinha”, também manutenção irregular ou estresse contínuo.
    Características e/ou sintomas: Abdômen bastante inchado (devido ao acúmulo excessivo de líquidos corporais), seguido de escamas eriçadas, muitas chegam a ficar num ângulo de 90°.
    Tratamento:É uma doença de cura difícil (veja o artigo sobre isso na seção Artigos do site), mas podem-se obter resultados satisfatórios utilizando 50 mg de Terramicina (oxytetraciclina) para cada litro de água. Faça trocas parciais de 2 em 2 dias e dose novamente o que foi eliminado até que os sintomas desapareçam. Existe uma técnica abrasiva utilizada em casos muito graves. Já a fiz, mas se este for o caso poste a sua dúvida na sala de “Doenças e Desastres” do nosso fórum, fazendo uma descrição minuciosa do estado do animal. Esta técnica requer habilidade e responsabilidade, se este for o seu caso você receberá ajuda de como deve ser feito o procedimento.

    Íctio: Na sala de “Doenças e Desastres”, também existe um ótimo texto explicativo de como identificar e tratar esta doença. Existem medicamentos para os que preferem utilizá-los; os menos danosos são da Mydor e Aquarium Pharmaceuticals, porém não deverá haver carvão ativado ou luz acesa durante o tratamento, tendo em vista que o mesmo poderá perder o seu efeito.

    Oodinum:
    Causa: Em geral, quedas e oscilações bruscas de temperatura.
    Características e/ou sintomas: Aparece uma espécie de poeira branca sobre o revestimento do peixe e em geral é seguida de infecções bacterianas. Nestes casos o animal parece estar “apodrecendo” liberando uma substância quase transparente que da a aparência de uma “gosma” sob o seu corpo.
    Tratamento: Procure medicamentos para tratar o Oodinum das mesmas marcas que citei. Posteriormente, em caso de ocorrer infecção bacteriana consequente, a mesma deve ser tratada. Reforce a alimentação do peixe com artêmias para que se recupere rapidamente.

    Infecções bacterianas:
    Causa: Machucados adquiridos por brigas, pedras pontudas, enfeites ou mesmo após a infestação por algum parasita. Normalmente as bactérias se valem do estado debilitado do animal e atacam causando sérios danos à sua saúde. Fique atento aos menores sintomas.
    Características e/ou sintomas: Caudas esfareladas, cortadas ou apodrecidas, boca inchada, olhos saltados, ulcerações brancas ou avermelhadas no corpo, podendo aparecer sangramento.
    Tratamento: Utilize um bactericida de largo espectro, fazendo 7 a 10 dias de tratamento ininterrupto. Existem muitos no mercado, procure o que lhe for mais acessível.

    Fungos:
    Causa: Manutenção irregular da beteira e restos de comida, enfim, muita matéria orgânica em decomposição.
    Características e/ou sintomas: Tufos de algodão por todo o corpo ou parte dele. Em casos mais graves os fungos atacam os órgãos internos dos peixes, podendo levar a morte.
    Tratamento: Utilize um fungicida de confiança e siga atentamente as instruções do fabricante.

    Grande abraço a todos,



     Páginas:  1  | 2  | 3  | 4  | 5  | 6  | 7  | 8 

    oF <=> oC in <=> cm G <=> L