Peixes Ornamentais em Aquário

Aphyosemion australe
Lyretail Killifish, Rabo-de-Lira

 A Era de Aquários > Peixes de Aquário > Lyretail Killifish - Aphyosemion australe

Fotos & Comentários

Aphyosemion_australe_1.jpg (23kb)
Fotografia: André Carletto

Nome: Aphyosemion australe
Comp AquapHTemp
Origem: África Ocidental
6 cm 40 L 6.5 26°C

Comentário

Devido à sua bela coloração e facilidade de reprodução, o Aphyosemion australe é sem dúvida o killifish mais popular em todo mundo, sendo um dos peixes responsáveis pela grande popularização do hobby nos últimos 30 anos. Encontrado na região litorânea do Congo e Gabão (África), são conhecidas, hoje, cerca de 11 populações diferentes. Alguns autores sugerem que algumas populações sejam consideradas sub-espécies (Aphyosemion autrale hjerreseni), mas a maioria dos estudiosos da área considera três variações desta espécie.
-Aphyosemion australe -(Cap Lopez )- população original
-Aphyosemion australe chocolate - variedade desenvolvida em aquário - possui a coloração parecida com a de um chocolate.
-Aphyosemion australe laranja - variedade desenvolvida em aquário - possui coloração alaranjada, inclusive as fêmeas são monocromáticas laranjas.

A primeira notícia da aparição deste peixe em aquário data de 1913 na Alemanha, eram peixes provenientes da região de Kap Lopez no Gabão, sendo considerado na época uma variação de Aphyosemion calliurus, mas em 1921 Rachow o descreveu como uma nova espécie. Classificação:
Ordem - Cyprinodontiformes
Família - Aplocheilidae
Gênero - Aphyosemion
Etmologia - Aphyo = pequeno peixe, semion = flâmula
Espécie - australe - peixe comum ao sul do equador.

Localidade típica: Kap Lopez - próximo a Cap Gentil, noroeste do Gabão (08º 38'E ;00º 40'S).

Habitat natural: Habita pequenos rios dentro da floresta tropical, no litoral Africano e perto do mar. A água é de coloração escura com a temperatura em torno dos 23º C, possui baixa concentração de sais minerais dissolvidos, pH = 6.5 e GH menor de 1, há plantas de superfície da espécie Ceratopteris sp. onde os peixes as usam de abrigo e meio de reprodução. Vive simpátrica, isto é, junto com outras espécies de peixes, como A. simulans e Ep. sexfaciatus.

Descrição: Possui o corpo alongado com coloração escura variando do vermelho para o marrom. As nadadeiras dorsal e anal possuem prolongamentos filamentosos e a nadadeira caudal é em lira (há uma variedade de coloração entre as populações, esta descrição se baseia na população da localidade típica).

Reprodução: Como já foi citado é um peixe bastante fácil de se reproduzir, resistente no aquário e recomendado para iniciantes. Em um pequeno aquário de 15 litros com cascalho de rio ao fundo, recomenda-se colocar um macho e duas fêmeas, mas há aquaristas que preferem colocar um casal para a reprodução. Colocamos também uma bruxinha (Lã acrílica presa a um isopor imitando raízes de plantas flutuantes) onde será feita a desova. Após a adaptação dos peixes ao aquário, o macho levará a fêmea até a bruxinha onde com o corpo em forma da letra "S" forçará a fêmea a desovar . Os ovos ficam fixados na bruxinha, possuem cerca de 1.5 mm e são cristalinos. Após 20 dias os filhotes nascem e já comem náupilos de Artêmia, após 5 meses já começam a apresentar dimorfismo sexual. Vivem cerca de dois anos. Os peixes que atualmente estão nos aquários brasileiros são descendentes de casais que chegaram por aqui no começo dos anos 80. De lá para cá inúmeras gerações foram criadas, mas sem que a espécie apresentasse degeneração genética.

Contribuído por Dalton Nielsen

Tem alguma experiência para partilhar nesta página? Não precisa registrar-se para contribuir! Sua privacidade é respeitada: seu e-mail é publicado somente se quiser. Todas as submissões são revisadas antes da adição. Escreva sobre suas experiências pessoais, sem abreviações, sem linguagem de chat, usando pontuação e capitalização padrão. Pronto? Então envie seus comentários!




oF <=> oC in <=> cm G <=> L