Peixes Ornamentais em Aquário

Potamotrygon orbignyi
Arraia Reticulada

 A Era de Aquários > Peixes de Aquário > Arraia Reticulada - Potamotrygon orbignyi

Fotos & Comentários

Potamotrygon_reticulatus_1.jpg (36kb)
Fotografia: Josh Weiner

Nome: Potamotrygon orbignyi
Comp AquapHTemp
Origem: Bacia Amazônica
35 cm 400 L 6.7 26°C

Comentário

Tive um espécime desta arraia, ela era mais clara do que o exemplar da foto. Devem ser criadas em aquário de areia de granulação fina, pois sentem-se mais à vontade para se enterrar como o fazem na natureza. Não recomendo ela para aquariófilos menos experientes, e também para aqueles que não podem se dedicar muito ao aquarismo, pois apesar de todo o seu estilo majestoso de nadar e se esconder na areia, ela possui um ferrão na cauda. Não sei ainda se esta espécie é venenosa, sendo assim todo cuidado é pouco. Elas são muito sensíveis a amônia, devendo efetuar muitas trocas parciais, ou outros métodos que possam controlar a amônia. Sem querer desanimar ainda mais os entusiasmados que ainda pretendem adquirir este peixe, ele é muito seleto com seu paladar, gosta de minhocas, artemias, peixes e Tetra Discus. Ela não é muito rápida para comer, e quando trata-se de peixes, este deve estar morto ou sem cauda. Ainda, não recomendo que fique com peixes muito ariscos, pois apesar de possuir o ferrão, ela é muito vulnerável a ataques.

Contribuído por Fredy
Comentário

Tenho um exemplar deste, só que mais claro (o que é mais comum de se encontrar). Não recomendo a aquaristas que possuem peixes menores que 5 cm, pois são carnívoras. Alimentam-se principalmente de camarões pequenos e peixinhos. Não tive problemas em colocá-los vivos, o instinto de caça dela é fenomenal. Cheguei a ter 50 Espadas (Xiphophorus helleri), e em praticamente 15 dias sumiram. Um excelente animal, porém possui um ferrão em sua cauda. O meu fica em cascalho grosso.

Contribuído por Fernando Gonçalves Jr.
Comentário

Quanto à parte do ferrão ser venenoso, lá isso é, pois o seu veneno é forte o suficiente para pôr uma pessoa em coma! São vivíparos, mas é muito difícil introduzí-los à reprodução. O macho possui o gonopódio muito pequeno, portanto para se distinguir o macho da fêmea é muito simples: o macho tem um ferrão na barbatana dorsal (mas este NÃO é venenoso) e necessita estar um macho para 3 fêmeas, sós, num aquário de pelo menos 200 L. A gestação dura cerca de 1 mês e meio, dando uma ninhada de cerca de 100 crias, que são muito difíceis de alimentar, só se deve dar flocos para alevinos e náuplios de artémia.

Contribuído por Luis Janardo

Tem alguma experiência para partilhar nesta página? Não precisa registrar-se para contribuir! Sua privacidade é respeitada: seu e-mail é publicado somente se quiser. Todas as submissões são revisadas antes da adição. Escreva sobre suas experiências pessoais, sem abreviações, sem linguagem de chat, usando pontuação e capitalização padrão. Pronto? Então envie seus comentários!




oF <=> oC in <=> cm G <=> L