Peixes Ornamentais em Aquário

Apistogramma cacatuoides
Apisto Cacatua, Apisto Cacatuóides

 A Era de Aquários > Peixes de Aquário > Apisto Cacatua - Apistogramma cacatuoides

Fotos & Comentários

Apistogramma_cacatuoides_1.jpg (29kb)
Apistogramma cacatuoides var. "Half-Orange" (macho)
Fotografia: Alex Kawazaki

Nome: Apistogramma cacatuoides
Comp AquapHTemp
Origem: Bacia Amazônica
5 cm 40 L 6.5 26°C

Comentário

Este esplêndido ciclídeo anão, cujo tamanho pode chegar a até 9 cm em machos adultos, tem como origem a América do Sul, sendo encontrado em ecossistemas lóticos (água corrente) e lênticos (água parada) do Alto Amazonas (Brasil, Peru e Colômbia). É uma espécie onívora, come de tudo, mas se quiser incentivar a reprodução e manter seu apisto saudável e com belas cores é recomendado oferecer alimentos vivos ao menos uma vez na semana - podem ser daphnias, artêmias, enquitréias, larvas de mosquito, etc. Também é recomendado oferecer ração complementar à base de vegetais/algas visando aumentar a variedade da alimentação e ressaltar a coloração azul (quando for o caso).

Este é um dos apistos mais conhecidos no aquarismo devido ao comportamento e cores exuberantes. Apesar da ampla faixa de pH (6.0 a 7.5), apreciam águas mais ácidas. Um aquário ideal para esta espécie deve possuir troncos e folhas, formando esconderijos, substrato fino e fácil de ser cavado (areia ou basalto nº.0), plantas flutuantes para ajudar a criar mais áreas de sombras, temperatura um pouco mais elevada - a partir dos 26°C - e água bem mole. O tamanho mínimo do aquário para apenas um casal é de 30 litros, já para um aquário comunitário 50 litros.

São peixes territoriais e agressivos com outros da mesma espécie ou formato e coloração parecidos. O casal deve ser sempre mantido em aquário próprio e sem outros peixes, no caso de aquário comunitário é recomendado manter apenas o macho sozinho. Com os outros peixes costumam ser pacíficos.

Existem diferentes variedades de Apistogramma cacatuoides, a "triple red" por possuir coloração vermelha e mosaico nas nadadeiras dorsal, anal e caudal, a "Double Red" com mosaicos e cor vermelha nas nadadeiras dorsal e caudal, "Orange Flash" nadadeiras dorsal, caudal e anal sem mosaicos e cor laranja, "White gold" com o corpo amarelado e até mesmo uma com mosaicos nas nadadeiras ventrais, anal, dorsal e caudal. Mesmo dentre os peixes desta variedade podem haver colorações um pouco diferentes, algumas mais puxadas para o azul, outras para o amarelo, para o vermelho e por aí vai.

O macho é maior, mais colorido, apresenta a nadadeira ventral maior, pontas das nadadeiras anal, dorsal e caudal finas (esta última apresentando duas pontas), os raios da nadadeira dorsal são maiores e o ventre é retilíneo. Além disso, o macho possui os lábios bem desenvolvidos. A fêmea possui coloração amarelada, pontas das nadadeiras anal, dorsal e caudal arredondadas, ventre roliço, é menor que o macho e dependendo da ocasião apresenta uma faixa negra vertical nas nadadeiras ventrais e um único ocelo negro no meio do corpo.

O ritual de reprodução começa quando o macho e a fêmea formam casal e escolhem um local para desovar, geralmente este é bem escondido com o casal tendo preferência por troncos, raízes e outros objetos que formem tocas. Eles irão limpar o lugar, cavar, enfim... deixar tudo pronto para a desova, em casos de aquários plantados com camada fértil corre-se o risco deles cavarem além da conta e atingirem essa camada. O macho exibirá suas cores ao máximo, apresentará as nadadeiras eriçadas e nadará perto da fêmea apresentando movimentos erráticos, com leves tremores, nadando e parando constantemente. Quando está pronta para desovar, a fêmea apresenta o ovopositor bem visível, cores fortes - normalmente puxada para o amarelo - e a desova ocorre geralmente à noite com uma quantidade de ovos variável, mas normalmente numerosa e de coloração laranja. A fêmea deposita os ovos e o macho os fertiliza logo em seguida. A fêmea fica cuidando dos ovos - agitando as nadadeiras para que a água circule por entre eles, retirando os ovos não fecundados ou atacados por fungos - até que eclodam alguns dias depois.

Logo após a eclosão os filhotes ainda ficam no local da desova e vão se alimentando do resto do saco vitelino, alguns dias depois a fêmea começa a trazê-los para fora da "toca", mas sempre sob seu cuidado atento. A partir deste momento podemos iniciar a alimentação dos pequenos: infusórios, nauplios de artêmia, ovos de artêmia sem casca, ração específica para alevinos de ovíparos, etc., conforme os filhotes forem crescendo alimentos vivos maiores podem ser oferecidos. Durante este período a fêmea fica com coloração amarela bem forte e muito agressiva com o macho, portanto o recomendado é retirá-lo do aquário para evitar o estresse de ambos. Os pequenos ficam agrupados e sempre perto da mãe, aos poucos vão se aventurando pelo aquário e por isso mesmo é bom manter a entrada do filtro (se for o externo) coberta com perlon para evitar acidentes.

À partir de 1 mês de idade os filhotes já podem ser separados da mãe, ou então assim que ela começar a dar sinais que não está mais cuidando deles. Por volta dos 6 meses de idade os filhotes já atingem maturidade sexual e podem começar a reproduzir, mas a coloração final do macho leva mais tempo que isso. O sexo dos filhotes não é determinado quando eles nascem, a proporção de machos e fêmeas pode variar até o 35º dia de vida, o pH é o principal fator que influencia na quantidade de machos e fêmeas em uma ninhada. A água com pH mais ácido gera mais machos e com o pH mais alcalino gera mais fêmeas.

Contribuído por Cinthia Emerich
Comentário

Tive a oportunidade e a felicidade de adquirir um exemplar de Apistogramma Cacatua para o meu aquário de ciclídeos anões. É uma espécie muito tranquila, convivendo sempre próximo aos Ramirezis. A coloração da nadadeira caudal do meu exemplar é diferente da foto acima, parecendo um mosaico preto e laranja. Permanece sempre no fundo do aquário arriscando-se poucas vezes na superfície. Por esse motivo, deve-se ter atenção na alimentação, além do que é um peixe lento em comparação aos demais ciclídeos no momento das refeições. No mais é um peixe misterioso, calmo e realmente muito bonito.

Contribuído por Leonardo Alves
Comentário

Considero o cacatuoides como a melhor opção para quem quiser ingressar na criação de apistogrammas, pois alem de ser muito bonito também reproduz com muita facilidade. Os filhotes, após começarem a nadar livremente, já são bastante resistentes e o índice de mortandade é muito pequeno. Recentemente formei um casal e com apenas dez dias já havia uma desova. Apesar de ser a primeira ninhada da fêmea ela cuidou dos filhotes muito bem, tanto que tive de separar o macho, pois ela ficava enxotando ele para o canto do aquário.

Contribuído por Fauze Calixto Said
Comentário

Mantenho um apistogramma cactuóides em meu aquário de 200 litros. Ficou descolorido e tímido nos primeiros dias, mas como o aquário possui refúgios para ele, logo perdeu a timidez e começou a explorar todo o aqua. Não briga com ninguém e come principalmente color bits e comida liofilizada. É uma bela espécie que enfeita qualquer aquário.

Contribuído por Caio Isola
Comentário

Em geral se diz que os machos de Apistogramma cacatuoides são mais coloridos que as fêmeas, entretanto isso não é a verdade factual. Machos e femeas apresentam coloração distintas, o macho prata-acinzentado e nadadeiras laranja com ou sem mosaicos negros. Já a fêmea tem uma bela coloração amarela. Um detalhe é que esses peixes ficam lindos e com a coloração mais definida se alimentados com ração Tetra Color. Os meus peixes depois que chegaram da loja mudaram totalmente. Nos machos as nadadeiras mudaram de um amarelo pálido para abóbora e as fêmeas de amarelo pálido para um belo amarelo brilhante. Não é correto dizer que as fêmeas tem menos cor, o fato é que elas não tem as belas nadadeiras do macho, mas as cores do corpo são bem mais bonitas.

Contribuído por Gilberto Mendonça
Comentário

São peixes majestosos. Quando fomam casal, ficam ainda mais chamativos. Muito raro achar a fêmea para vendas, porém os machos são encontrados com maior facilidade. Em particular, é um dos peixes que comem mais, e aceitam maior variedade de alimentos. Alimento o meu com alimentos vivos, sacos e rações granuladas. Está se desenvolvendo muito bem. Indico!

Contribuído por Marcelo Berenguer
Comentário

Sou muito fã deste peixe, tenho um macho triple red no meu aquário e com certeza ele é o meu xodó. Realmente fica com uma coloração linda, aceita muito bem todo o tipo de alimento e principalmente parece se exibir no aquário. Ele é o dono do pedaço. O meu apisto particularmente vem comer na minha mão a ração, ninguém acredita. Dizem que ele parece cachorro. Recomendo este peixe a todos.

Contribuído por Rodrigo Delecrode

 Submeter um Comentário 

Tem alguma experiência para partilhar nesta página? Não precisa registrar-se para contribuir! Sua privacidade é respeitada: seu e-mail é publicado somente se quiser. Todas as submissões são revisadas antes da adição. Escreva sobre suas experiências pessoais, sem abreviações, sem linguagem de chat, usando pontuação e capitalização padrão. Pronto? Então envie seus comentários!

                                       

oF <=> oC in <=> cm G <=> L