Peixes Ornamentais em Aquário

FBF, Sim ou Não?

 A Era de Aquários > Artigos de Aquarismo

Texto

Filtro Biológico de Fundo Então já está decidido, seu novo aquário será de "XX" litros, terá lâmpadas "YY", aquele aquecedor infalível "ZZ", etc... Mas aí pinta uma das dúvidas mais comuns (pra não dizer, a mais comum das dúvidas): Qual a filtragem do aquário? Utilizar ou não o velho FBF (Filtro Biológico de Fundo)? Esse tipo engenhoso de filtro, que usa o próprio cascalho do aquário como meio filtrante, foi descoberto há várias décadas atrás e trouxe um grande impulso ao aquarismo por permitir uma qualidade muito melhor de água no aquário. Mas e hoje em dia? Será que ainda é uma boa opção? Esse artigo tenta esclarecer, pelo menos um pouco, essa dúvida que atormenta alguns aquaristas, novatos ou nem tanto.

A tentação é grande. Você pode montar todo o FBF de um aquário de 70 litros gastando desde R$25 (utilizando um compressor de ar) até pouco mais de R$35 (utilizando uma bomba submersa simples), Enquanto desembolsaria de R$50 a R$70 em um filtro externo compatível. Então, o que escolher? A maioria dos lojistas (salvo em raras excessões) irá te empurrar um FBF. Eles dirão mil maravilhas sobre esse sistema, convencendo facilmente uma pessoa com pouca ou nenhuma experiência no assunto. Esse sistema funciona, porém é uma tecnologia ultrapassada, onde as desvantagens superam de longe as vantagens oferecidas. Ao meu ver, a única vantagem desse sistema sobre os demais é o preço, indiscutivelmente menor. Porém, esse é um dos melhores exemplos onde "O barato sai caro".

Imagine o seguinte: Na sua casa tem uma empregada, o problema é que a única coisa que ela sabe fazer é varrer toda a sujeira da casa para baixo do tapete. No começo tudo está aparentemente bem, afinal a casa está limpa, você e sua família estão bem, então conclui-se que tudo vai bem. Além do que, essa empregada cobra a metade do que cobram as outras. Um grande negócio, certo? Errado! Infeliz engano. Após uma semana o tapete está lotado de lixo, começa o mal-cheiro. Depois disso começam a aparecer baratas, moscas, e acontecem outras "coisas estranhas". O fim disso é fácil de imaginar, não é? Você acaba tendo que lavar a casa inteira, perde tempo e dinheiro nisso.

Essa pequena estória é uma analogia ao que acontece em um aquário com FBF. É claro que no aquário todo esse processo demora um pouco mais para acontecer, porém cedo ou tarde acontece... E o prejuízo pode ser maior ainda. Então, de que adianta economizar o dinheiro na montagem do aquário sendo que mais tarde você fatalmente irá gastar muito mais pelo erro cometido?

Acredito que você já esteja familiarizado com o "funcionamento" da filtragem biológica (caso não esteja, leia o artigo sobre o Ciclo do Nitrogênio). Então, é esse o processo realizado pelo FBF, onde os dejetos dos peixes, restos de comida, e toda matéria orgânica presente no aquário são decompostos no substrato. O principal problema está exatamente aí. Toda sujeira ficará retida no substrato. Isso, a curto prazo, não provoca maiores problemas (quer dizer, não provoca problemas que possam ser facilmente notados). O perigo está a médio e longo prazo, onde (por exemplo) o excesso de sujeira tornará a simples tarefa de manter o pH em um determinado valor, um problema difícil de se solucionar. Claro que se pode adiar os efeitos negativos até certo ponto, fazendo trabalhosas sifonagens do cascalho com regularidade, mas nunca se consegue tirar toda a sujeira do cascalho, e inevitavelmente os efeitos negativos vão aparecer. Além disso, o FBF não permite o uso de substratos mais finos sob pena de entupir as placas, as raízes das plantas encontram um obstáculo para desenvolver-se, o uso de fertilizantes granulados é dificultado, entre outros inconvenientes.

Então, porque será que ainda se insiste tanto no uso desse sistema? Falta de informação é o principal motivo. Boa parte dos lojistas não sabe (ou finge não saber) dos problemas causados por esse sistema, pois nas lojas a rotatividade dos aquários é enorme. Chega-se a trocar 80% da água de um aquário entre uma e outra remessa de peixes. Isso normalmente é impraticável nos aquários domésticos. Além disso, o FBF foi praticamente sinônimo de "filtragem para aquário" durante tantas décadas, que aqueles que não se atualizaram têm dificuldade para conceber qualquer outra opção que possa sequer substituí-lo, quanto mais fazer o serviço muito melhor que ele.

Portanto, pode-se concluir que o FBF deve ser esquecido e deixado apenas para os lojistas que gostem dele, pois eles sim, podem utilizar esse sistema de forma eficiente, com grandes e frequentes trocas de água e sem maior preocupação com peixes e plantas. Para aquários domésticos, existem atualmente vários outros métodos de filtragem mais eficientes. Um bom exemplo são os filtros externos. São práticos, eficientes, de simples manutenção e o preço não é proibitivo. Toda a sujeira é retida no(s) cartucho(s), sendo facilmente eliminada com uma simples e rápida lavagem ou troca de cartucho. Se ainda assim restou alguma dúvida a respeito disso, pense: Você pode pagar R$50 ou até muito mais nos seus peixes, então será que não pode gastar o mesmo (ou um pouco mais) para oferecer a esse peixe boas condições de vida durante muitos anos? Bem, termina aqui este artigo. Espero que seja de alguma valia para quem ainda tem dúvidas sobre o FBF ser ou não uma boa opção.

Comentários de Leitores Comentário

Apoio os comentários. Já utilizo filtro externo por 2 ou 3 anos e depois deles tenho curtido mais meu aquário, sem grandes preocupações. Enquanto usei o FBF as pessoas que viam meu aquário falavam sempre coisas como: "limpa esta porcaria, parece que tem lama no fundo", e eu cheguei a ficar constrangido algumas vezes.

Contribuído por Alvaro Meirelles
Comentário

Quando comecei com meu aquário, ele só tinha o FBF, bem posso afirmar que no inicio não há grandes problemas, mas após seis meses, comecei a ter uma variação no pH. Comecei a tratar com pedras e remédios, mas após um ano o pH do meu aquário ficou completamente descontrolado. Passava de alcalino para ácido em 2 dias e era difícil de estabilizar. Após algumas pesquisas eu adquiri o filtro externo e removi as placas. Com mais ou menos um ano e meio meu aquário estava ao normal novamente e até hoje não tive problemas. Mas posso dizer que a configuração do filtro é importante para suprir a filtragem biológica. Com a configuração certa não tem problemas. Meu aquário: Aquário de 110 litros, Termostato, Bomba submersa de ar, Filtro externo - AquaClear 150, Cascalho e pedras naturais, Plantas artificiais, Aquário comunitário com diversas espécies de peixes.

Contribuído por Luiz Carlos Duarte
Comentário

Este artigo é muito esclarecedor, principalmente para os iniciantes, pois quando vamos a uma loja de aquários, o primeiro produto que o proprietário nos apresenta como indispensável ao bom funcionamento do aquário é o famoso FBF. Até aí tudo fica uma maravilha, o custo é relativamente baixo, as explicações dadas sobre o seu funcinamento não deixam dúvidas quanto à sua eficácia, etc... Mas depois vêm as doenças, além das alterações de pH, que com o tempo se tornam frequentes, chegando até a ficar impossível mantê-lo controlado de acordo com a necessidade do aquarista. E por fim, temos a difícil tarefa de desmontar todo o aquário. Tenho usado o filtro externo, que na minha opinião é de longe o melhor sistema de filtragem existente.

Contribuído por Cleudinéia Guimarães
Comentário

Realmente, é meio difícil manter bem um aquário só com FBF. Na maioria dos meu aquários eu utilizo os dois. Como geralmente o FBF vem junto como aquário na compra, eu não o deixo em desuso, mas sei que ele só não basta, sempre tenho um filtro externo junto.

Contribuído por Fábio W.
Comentário

O FBF deve ser encarado como uma forma a mais de promover a filtração do aquário. Poder contar com a ajuda das bactérias depuradoras, que trabalham de graça, é uma ótima opção. Não é admissível que os resíduos de comida e fezes dos peixes continuem dentro do aquário indefinidamente. Deve haver um filtro externo e trocas parciais de água, retirando-se todos os compostos metabolizados dissolvidos, assim como sifonando-se os resíduos indesejáveis existentes no fundo do aquário. Por isso, não sou contrário ao seu uso, apenas considero como um coadjuvante na manutenção de uma água sadia no aquário.

Contribuído por Ricardo Nanartonis
Comentário

Por muito tempo usei apenas o FBF, mas recentemente inclui na filtragem do meu aquário um filtro externo, que proporcionou uma filtragem bem mais satisfatória. Mesmo assim não abandonei o FBF. Os dois sistemas em conjunto estão funcionando muito bem no meu aquário.

Contribuído por Vivian Lima
Comentário

Para mim, o FBF ainda tem e sempre terá a sua funcionalidade primordial, que é a fixação e colonização por bactérias nitrificantes. Tenho um aquário de 260 litros montados há 9 anos, sem nunca ter sido desmontado. Possuo apenas 3 casais de discos. Sifono uma vez por semana e faço TPA's 2 vezes semanalmente. Para a filtragem mecânica e química, utilizo um filtro hang on. Devemos respeitar sempre a quantidade máxima de peixes viventes no aquário. No meu caso, discos, respeitando a regra de 40 a 50 litros por indivíduo adulto. É a minha opinião nestes anos todos de aquarismo a respeito do FBF. Saudações.

Contribuído por Wilson Yoshimoto

Tem alguma experiência para partilhar nesta página? Não precisa registrar-se para contribuir! Sua privacidade é respeitada: seu e-mail é publicado somente se quiser. Todas as submissões são revisadas antes da adição. Escreva sobre suas experiências pessoais, sem abreviações, sem linguagem de chat, usando pontuação e capitalização padrão. Pronto? Então envie seus comentários!




oF <=> oC in <=> cm G <=> L