Peixes Ornamentais em Aquário

Aquários e Tempo de Janela

 A Era de Aquários > Artigos de Aquarismo

Texto

O texto abaixo é uma espécie de crônica, bem "auto-biográfica", nada de texto técnico. Achei divertido escreve-lo, e é tudo verdade!

São Paulo, novembro de 2005

Há dois anos e meio atrás houve o lançamento do filme "Procurando Nemo". Minha filha, então com 5 anos, recebeu como "lembrancinha" em uma festa... um peixe! Um Betta.

De repente voltei algumas décadas no tempo: eu tinha uns 6 ou 7 anos (hoje estou com 42) e meu pai havia me dado um par de "Tricos" azuis, dentro de um aquário bola, junto com alguns ramos de alguma planta. Mais nada. Serei breve com a história dos Tricos: após doenças diversas e suicído de ambos, fim da história para o meu aquário. Afinal com a idade que eu tinha, quem ia ter que assumir o "meu" hobby seriam eles. Aquele entre vocês que foi aquarísta a três décadas atrás compreenderá perfeitamente porque que eles não tenham assumido o hobby: então era complicado mesmo, não?

Segui minha infância sem aquários, somente um vago encantamento que foi se diluindo. Veio a adolescência com suas descobertas e perplexidades. Descobri a fotografia que virou hobby e que acabou virando profissão. Aos vinte e poucos anos viajei para Roma, aonde viví e trabalhei com fotografia por oito anos. Voltei ao Brasil com 30 anos, conhecí quem é hoje minha esposa e há oito anos mãe de minha filha.

Então um coleguinha de classe dela lhe deu o peixinho... o vago encantamento por aquários acordou. Comprei um tanquinho de 12 litros, cascalho, um maço de Egeria. Com algumas rochas e um pouco de areia tentei fazer uma pequena paisagem para o Betta. Naquela época também havia começado a trabalhar em uma produtora de vídeo, aonde, por conta de os donos terem aquários em casa, havia um pequeno aquário de CA's. Já havia com quem trocar alguma idéia!

E claro, a Internet, com seu mar de informações. Mas isso não evitou que eu comprasse alguns companheiros inadequados para o Betta. Um Oto e um par de "baby" Kinguios. Ainda não comprei nenhum filtro, aquecedor, nada. Era inverno, e o primeiro a morrer foi o Betta. Em seguida os Kinguios, e por último o Oto.

Mas eu já havia sido fisgado. Enquanto o tanquinho degringolava, eu descobría rapidamente que estava vivendo na era dos aquários plantados! Uma variedade de plantas considerável no mercado, equipamentos e principalmente novos conhecimentos.

E então, Takashi Amano! E mais do que isso, aqui mesmo no Brasil diversos dignos seguidores de sua arte. Comecei a sonhar com um tanque maior e a pesquisar mais na internet. E claro, também os espaços desponíveis aqui em casa.

Enquanto isso, remontei o tanquinho de 12 litros para fazer alguma experiência com plantas mais sérias, enquanto o tanque grande não vinha. Aprendi que, sim: dadas as condições adequadas, plantas se desenvolvem e muito! Naquele tanque ainda houve algumas baixas, mas um Oto e um Molly me acompanham até hoje no meu tanque principal, mais de um ano e meio.

Mas enquanto ia montando os componentes para o tanque de 100 litros, iam aparecendo também alguns problemas realmente sérios. Não, não estou falando de falta de grana ou falta de espaço. Isso até que houve, e há, mas estou falando de uma certa arrogância. Achar que já sabia tudo o que tinha a saber, e que ia sair de cara com um aquário maravilhoso.

Então há pouco mais de um ano atrás, montei o meu tanque de 100 litros plantado. Confesso que aquilo que era meu objeto do desejo acabou é me deixando bem estressado. Comecei a perceber que me faltava "alguma" experiência.

Mas não é que me faltava experiência em plantados especificamente... Sabe, aquelas coisas sem as quais é difícil obter um bom resultado, mesmo que partindo de uma boa idéia? Coisas como a dosagem da fertilização? Ou então, aquele conhecimento sobre o "movimento" de cada espécie de planta? Como cada planta cresce, se reproduz, responde às podas, ao substrato, à iluminação? Perceber que não adianta ter algumas mudas na mão e ter visto diversas fotos e alguns aquários. Se você não tiver intimidade específica com cada planta vai ter muitas surpresas. Algumas bem desapontadoras. Você achava que ela ia ter um belo carpete e de repente tem moitas exageradas em primeiro plano, por exemplo. E é uma planta de roseta que não pode podar! E aí, aquele pretensamente belo lay-out ficou é bem esquisito...

Não, não é que me faltasse esse tipo de conhecimento específico sobre plantados. Me faltava, e ainda me falta, sim. E como! Cada dia descubro uma nova! Mas o que me faltava especificamente era o conhecimento de aquarismo básico que só vem da prática. Entender e aceitar os diversos tempos e níveis de ciclagem, interpretar as diversas turbidezas, cores e cheiros possíveis da água. Hoje, se ainda me falta experiência, pelo menos não acho mais que é o fim do mundo quando a água fica turva, como quando acabei de montar o aquário: ficava mexendo em filtragem e luz e parâmetros de água, e com certeza só ia fazendo com que aquele equilíbrio mínimo demorasse muito mais a chegar!

Quando ouvía falar que aquarísmo é um exercício de humildade e paciência, achava que era papo furado para impressionar iniciantes! Ou, dizia que concordava com aqueles que dizem que aquarismo não é macarrão instantâneo. Mas queria era ter um tanque lindo para massagear meu ego, e rápido. Hoje quando olho para o meu tanque e vejo aquela "turma" de algas parece que estão me dizendo algo tipo: "Decifra-me ou devoro-lhe as plantas!". E percebo o quanto ainda tenho que aprender. E que não adianta ser arrogante e achar que sei tudo o que preciso saber. O meu tanque ainda está muito longe do aquário dos meus sonhos. Ainda preciso encontrar o caminho do meio: adequar os projetos e aprimorar a minha realidade.

Em compensação, quando vejo os meus Mato-grossos tão felizes que quase nem mais mordem as caudas dos molinésias e uns dos outros, quando vejo os filhotes de camarão que sobrevivem e crescem graças à profusão de esconderijos, quando vejo as plantas ficarem encorpadas e criando um belo cenário, percebo que em compensação alguma coisa está dando certo e isso é muito legal. E praticamente não morrem mais peixes aqui em casa.

E minha filha ganhou um outro Betta. Dessa vez eu que comprei. O peixe está feliz da vida e saudável, fazendo seus ninhos de bolhas no aquarinho de 12 litros. Agora com a água aquecida e sem companheiros inconvenientes.

Comentários de Leitores

 Submeter um Comentário 

Tem alguma experiência para partilhar nesta página? Não precisa registrar-se para contribuir! Sua privacidade é respeitada: seu e-mail é publicado somente se quiser. Todas as submissões são revisadas antes da adição. Escreva sobre suas experiências pessoais, sem abreviações, sem linguagem de chat, usando pontuação e capitalização padrão. Pronto? Então envie seus comentários!




oF <=> oC in <=> cm G <=> L